Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

http://portalpbh.pbh.gov.br/pbh/ecp/comunidade.do?evento=portlet&pIdPlc=ecpTaxonomiaMenuPortal&app=meioambiente&tax=43437&lang=pt_BR&pg=5700&taxp=0&

 

 

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

.


   
 
  PRINCIPAL / SALA DE NOTICIAS
 
 
 
História da rua Jacuí: o antigo caminho da roça
Publicado em 01/07/2009 10:33:13

Conhecida como o “caminho da roça” nos anos 20, a rua Jacuí ligava a capital a Santa Luzia, cortando, naquela época, a região essencialmente rural de Belo Horizonte. Principal acesso aos bairros da região Nordeste, a rua era coberta por lascas de pedra e areia e caracterizava-se por uma via de passagem entre a região e o centro da cidade.

Rua Jacuí em seus tempos de “caminho da roça”. Foto: APCBH/ASCOM

Em meados dos anos 20 e no início dos 30, com os diversos loteamentos de chácaras e fazendas, a paisagem da rua começou a mudar e traços urbanísticos ganharam destaque. Ruas foram abertas, sempre pensadas como paralelas ou transversais à Jacuí. Construções foram margeando seu trajeto e um diversificado comércio concentrou-se no trecho do bairro Renascença, com a criação da Companhia Renascença Industrial.

A fábrica têxtil promoveu uma grande mudança na região. Os apitos da fábrica comandavam o dia-a-dia das centenas de operários e ditava o som que se ouvia na rua Jacuí. Uma curiosidade é que foi no bairro Renascença, nas festas e desfiles promovidos pela Companhia Industrial, que o talento da tecelã Clara Nunes foi revelado.

Os bondes chegaram à rua Jacuí em 1936. Foto: APCBH-Coleção José Góes

Com a “revolução industrial” da rua Jacuí era necessária a implantação de uma linha de bonde mais próxima à região, que pudesse deslocar o grande número de trabalhadores que se dirigiam à via todos os dias. Com isso, em 1936, a linha de bonde do bairro Renascença, que fazia o trajeto Floresta/Renascença, foi inaugurada e, já naquela época, a rua Jacuí centralizava em seu eixo grande parte do tráfego da região.

Daquele tempo só restaram alguns antigos moradores e sete casarões tombados pelo Patrimônio Histórico Municipal. As edificações preservam suas características originais e atraem a atenção das pessoas que costumam passar pelo local. Hoje, a Jacuí é considerada a maior rua de Belo Horizonte por alguns guias da cidade, com 4.172 metros de extensão e passa pelos bairros Floresta, Graça, Renascença e Ipiranga. Ela começa na rua Pouso Alegre e termina na avenida Cristiano Machado, perto do Minas Shopping.

| Voltar