Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

http://portalpbh.pbh.gov.br/pbh/ecp/comunidade.do?evento=portlet&pIdPlc=ecpTaxonomiaMenuPortal&app=meioambiente&tax=43437&lang=pt_BR&pg=5700&taxp=0&

 

 

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

.


   
 
  PRINCIPAL / SALA DE NOTICIAS
 
 
 
PBH já instalou telas de proteção em 285 residências de gestantes
Publicado em 09/06/2016 10:50:00

A Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte segue em ritmo acelerado com a instalação de telas de proteção impregnadas com inseticidas em janelas de residências onde residem gestantes. A medida é pioneira para proteger as gestantes do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya. Essa ação já recebeu reconhecimento por parte do Ministério da Saúde e instituições nacionais de proteçao a criança.

Desde março, quando o projeto foi iniciado, já foram instaladas telas em 285 residências de gestantes assistidas pela Rede SUS-BH. A cada dia são colocadas telas em dez a 12 moradias. A prioridade é para grávidas que moram em locais de confirmação de circulação do zika vírus e que estejam no primeiro ou segundo trimestre de gestação.

A tela oferece dupla proteção por representar obstáculo de barreira física e bioquímica ao Aedes aegypti. O equipamento consiste em uma tela de malha fechada impregnada por produto inseticida que contém cipermetrina e polietileno não inflamável. As telas têm validade de cinco anos ou 20 lavagens. A tela tem certificação ISO 9000 e 2000 e autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Gestantes de 14 bairros das regionais Norte, Venda Nova e Nordeste já foram contempladas. Está prevista a colocação das telas em residências de mais nove bairros das regionais Leste, Noroeste, Pampulha, Barreiro e Oeste.

As gestantes de áreas de risco são identificadas nas consultas de pré-natal e as Equipes de Saúde da Família, acompanham o processo e orientam a instalação. As gestantes assinam um termo de consentimento para a instalação.

Proteção garantida

A jovem dona de casa, Iandra Araújo Laender, de 26 anos, moradora da Rua Alice Perri, Bairro Jardim Guanabara, é uma das gestantes contempladas. Ela está com pouco mais de quatro meses de gestação, mas logo no início da gestação ela entrou para a lista de beneficiadas, ao descobrir a gravidez durante uma consulta ginecológica no Centro de Saúde Jardim Guanabara, região Norte. Suas preocupações aumentaram devido à confirmação da circulação do zika vírus no seu bairro, além da situação financeira complicada. De uma hora para outra, o casal ficou desempregado, obrigando a mudança rápida de planos. Eles já têm um filho de um ano de idade.

“Recebi a notícia da gravidez em um momento delicado, pela minha condição financeira e também com a preocupação com a nossa saúde, foi um período de surgimento de casos de zika e do aumento de dengue”, conta.

A família, que morava de aluguel, passou a viver com os pais de Iandra, no endereço atual. No início de março a residência recebeu as telas impregnadas com inseticida, um alívio a mais para todos.

“Estou muito satisfeita, com as telas. Não entra inseto em casa, principalmente o temido Aedes. Ainda continuo tomando todos os cuidados possíveis, inclusive usando repelente e roupas que cobrem mais o corpo.”
A gerente de assistência à saúde da SMSA, Taciana Malheiros, atesta os benefícios da proteção às gestantes da rede SUS-BH. Segundo ela, esse projeto é inovador e eficiente. “A PBH saiu na frente com essa proposta. A tela com dupla proteção tem barreira física que impede a entrada do mosquito, e a biológica com inseticida impregnado nas telas”.

Segundo Malheiros, o esforço é conjunto e complementa os demais trabalhos já existentes para diminuição dos casos de dengue e prevenir a zika em gestantes. “Essa medida é mais uma dentre outras tantas que a prefeitura realiza rotineiramente por meio das ESF, ACE e ACS. Ela vem agregar esforços. É importante lembrar que ela não substitui os demais cuidados que a gente vem sempre alertando à população, como eliminar os reservatórios de água parada. A medida é somatória e não substitutiva às que já existem.”



Casa da Gestante Zilda Arns
No início do mês de maio a Casa da Gestante Zilda Arns, unidade de cuidado vinculada ao Hospital Sofia Feldman, destinada ao acolhimento e acompanhamento de gestantes que apresentam agravos na gravidez, recebeu as telas impregnadas com inseticida. Um cuidado a mais para as gestantes que necessitam de atenção em serviços de saúde de maior complexidade, que não exigem vigilância tão constante em um ambiente hospitalar.

A Casa oferece, desde outubro de 2007, condições de permanência, alimentação e acompanhamento pela equipe de referência, composta por enfermeira obstetra, médico obstetra e técnico de enfermagem. As gestantes também contam com o apoio de psicólogo, terapia ocupacional, serviço social, educadora física e nutricionista, que integram a equipe multiprofissional. A unidade atende a mais de 350 municípios mineiros.
 

| Voltar