Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

http://portalpbh.pbh.gov.br/pbh/ecp/comunidade.do?evento=portlet&pIdPlc=ecpTaxonomiaMenuPortal&app=meioambiente&tax=43437&lang=pt_BR&pg=5700&taxp=0&

 

 

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

.


   
 
  PRINCIPAL / SALA DE NOTICIAS
 
 
 
Combate ao Aedes aegypti em BH ganha reforço da Urbel
Publicado em 19/01/2016 09:47:44

A força-tarefa criada pela Prefeitura de Belo Horizonte para combater o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chicungunya, agora conta também com a ajuda da Companhia Urbanizadora de Habitação de Belo Horizonte (Urbel).


Técnicos da empresa pública responsável pela política municipal de habitação popular na capital vão acrescentar em sua rotina de trabalho a observação e alerta de possíveis focos do mosquito nos locais visitados.
Uma equipe de Secretaria Municipal de Saúde realizou, durante dois dias, capacitação de 70 funcionários da Urbel, para orientar como deve ser o trabalho em campo e fornecer as principais informações sobre o mosquito e as doenças transmitidas por ele.


“Como nossos técnicos já fazem vistorias em residências por risco geológico, eles vão incorporar ao trabalho um olhar direcionado para identificar potenciais focos de dengue e abordar os seus proprietários com orientação e alerta”, explica a diretora de Manutenção e Áreas de Risco da Urbel, Izabel Volponi. O apoio da Urbel também representará reforço na fiscalização em obras da própria prefeitura, no que se refere à infestação do Aedes.
Esse reforço vai se somar ao trabalho que está sendo realizado por agentes da Saúde, Coordenadoria Municipal de Defesa Civil e Guarda Municipal. A força-tarefa conta com 1.500 Agentes de Combate a Endemias (ACE), 2.400 Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e 90 agentes da Defesa Civil. No caso da Guarda Municipal o número de reforço varia conforme a necessidade de cada mutirão.


“Falamos aos técnicos da Urbel sobre as três doenças e o controle vetorial. Ressaltamos os objetos que acumulam água, principalmente em obras, e o cenário epidemiológico. Também explicamos a rotina dos Agentes de Combate a Endemias (ACE), com apresentação de fotos de focos encontrados nos imóveis”, explica Ana Carolina Lemos Rabelo, Referência Técnica da Gerência de Controle de Zoonoses da Secretaria Municipal Saúde.
 

| Voltar