Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

http://portalpbh.pbh.gov.br/pbh/ecp/comunidade.do?evento=portlet&pIdPlc=ecpTaxonomiaMenuPortal&app=meioambiente&tax=43437&lang=pt_BR&pg=5700&taxp=0&

 

 

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

.


   
 
  PRINCIPAL / SALA DE NOTICIAS
 
 
 
Servidor da SLU apresenta seu trabalho no projeto Encontro com o Escritor
Publicado em 01/09/2015 13:31:48

Imagine conhecer de perto um escritor, matar a curiosidade sobre o processo de criação ou simplesmente conversar com ele sobre literatura e outros assuntos interessantes. Alunos de quatro escolas públicas da capital, situadas nos bairros Capitão Eduardo, Minas Caixa, Nova Pampulha e Vale do Jatobá, viveram essa experiência na última semana de agosto. Eles receberam a visita do escritor e jornalista Pedro Antônio de Oliveira, que é servidor da Superintendência de Limpeza Urbana (SLU), após a leitura de um de seus livros, “Uma história, uma lorota... e fiquei de boca torta!”.

A visita fez parte do projeto “Encontro com o Escritor”, do Carro-Biblioteca da Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa, que também promoveu uma roda de leitura e um “Quiz Literário”, com perguntas e respostas sobre a vida e a obra do autor. O desafio de dar continuidade a algumas crônicas do livro, por meio da produção de textos, também animou os estudantes e premiou aqueles mais afiados.

O Carro-Biblioteca (CB), criado em 1960, leva informação e cultura a bairros da Região Metropolitana de Belo Horizonte que não possuem bibliotecas e outros equipamentos culturais. “O ‘Encontro com o Escritor’ nasceu do desejo dos leitores de estar fisicamente com o autor, trocar experiências com ele e derrubar o mito de que o escritor é alguém distante e inacessível”, explica a coordenadora do CB, Viviane Pereira. O projeto já recebeu três autores, e contará com a participação de mais dois até o fim do ano. Para saber mais sobre a iniciativa, acesse o site encontrocomoescritor.wix.com/blog.

A obra

No livro “Uma história, uma lorota... e fiquei de boca torta!” (editora Saraiva), Pedro Antônio de Oliveira traduz, do ponto de vista de um adolescente, a vida com os diversos dilemas dessa idade. Provando que a literatura exerce poder em nossas vidas, nas situações mais simples e cotidianas, o autor escreve sobre o próprio ato de inventar histórias, contando lorotas e alegrias que encantam os corações ou tristezas que nos aproximam uns dos outros.
 

| Voltar