Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

.


   
 
  PRINCIPAL / SALA DE NOTICIAS
 
 
 
Aplausos para eles
Publicado em 13/05/2015 15:46:32

O dia 16 de maio é dedicado ao gari. Para comemorar a data, a Superintendência de Limpeza Urbana (SLU) prestou uma homenagem a esse profissional que, com carinho e dedicação, oferece diariamente à sociedade o seu melhor presente.


Cerca de 400 garis assistiram ao espetáculo teatral “GARImpando Risos”, com o ator Carlos Nunes, que interagiu com o público e arrancou risos da plateia. A ação foi uma iniciativa da SLU, em parceria com o Cine Theatro Brasil Vallourec.

Logo na entrada, os convidados puderam apreciar a exposição “Gari Cult - Gari Fashion". As roupas da coleção buscaram sensibilizar e chamar a atenção do público para o dia a dia do gari e para questões de preservação ambiental, de uma forma alegre, original e divertida, inserindo a limpeza urbana na pauta do dia. A coleção repensa o desperdício e aponta soluções de reaproveitamento.


Foto: Pedro Antônio de Oliveira

Para o ator Carlos Nunes, levar alegria aos profissionais da limpeza urbana, por meio da arte, é uma oportunidade de retribuir o muito que eles fazem pelo cidadão. “Achei maravilhoso o convite, eles precisam dessa valorização. Felizmente, a sociedade está despertando para o papel de destaque que o gari exerce na vida de todos”, comentou o humorista.

“De domingo a domingo, vemos os garis limpando e cuidado de nossa cidade. Para o Cine Theatro Brasil Vallourec, foi um privilégio abrir as portas de nosso espaço para homenagear aqueles que trabalham arduamente por Belo Horizonte. O evento foi uma maneira carinhosa de reconhecermos a importância do trabalho deles para a capital mineira e, ao mesmo tempo, proporcionarmos uma tarde agradável e com muito riso. Afinal, os garis são grandes parceiros do Cine Brasil, pois para o nosso público, a experiência de ir ao teatro começa ao chegar no espaço, do lado de fora, nas calçadas da Praça Sete”, afirmou Alberto Camisassa, presidente do Cine Theatro Brasil Vallourec.


Foto: Pedro Antônio de Oliveira


Foto: Pedro Antônio de Oliveira


Múltiplos talentos

Eles são mais de 3 mil, entre efetivos e terceirizados. Alguns são atletas, outros cantam, há aqueles que fazem teatro, os que tentam novos caminhos, enfrentando o Enem, os que já chegaram à faculdade e até os que, numa atitude heroica, salvam bebês de engasgos. Isso sem contar as profissionais que, desde o ano passado, passaram a atuar em uma função antes só ocupada pelos homens: a coleta de resíduos em caminhão compactador.

Esses são os garis, um batalhão que atua em várias frentes: nas coletas domiciliar e seletiva, varrição, limpeza de bocas de lobo, limpeza de córregos, capina e roçada, recolhimento de descartes irregulares, em atividades multitarefas (lavação de vias, viadutos, túneis e retirada de pichação), nas Unidades de Recebimento de Pequenos Volumes (URPVs), nas usinas de reciclagem de entulho e na Central de Tratamento de Resíduos Sólidos da BR-040.

Enquanto esperava para entrar no teatro, ao lado das colegas de profissão, Cleuza Alves Ramos, de Campanário, no Vale do Rio Doce, relembrava seus 29 anos dedicados à SLU. “Cheguei a Belo Horizonte aos 15 anos e foi nesta prefeitura que consegui meu primeiro emprego com carteira assinada e, com meu trabalho de gari, criei meus filhos.”


Foto: Pedro Antônio de Oliveira


Foto: Pedro Antônio de Oliveira

Márcio Pereira é um exemplo dessa dedicação. Há 21 anos na SLU, o gari de varrição trabalha próximo à Praça Rio Branco, na região da rodoviária. Seu carinho pela cidade é tão grande que se traduz não só na limpeza de ruas e avenidas. Com olhar atento para o ser humano, ele garante que já perdeu as contas de quantas vezes alertou crianças e idosos sobre os perigos do trânsito. “Antes de tudo, gosto de cuidar das pessoas, faço meu trabalho com amor, com o coração. Fico muito feliz com esta homenagem porque também adoro ir ao teatro e me divertir.”


Foto: Pedro Antônio de Oliveira

Durante o evento, o prefeito Marcio Lacerda agradeceu a contribuição dada pelos garis para o bem-estar da cidade. “O trabalho desses homens e mulheres é fundamental para a população, pois proporciona qualidade de vida a todos nós. Eles contribuem para a saúde e a beleza da nossa capital”, afirmou.


Foto: Carlos Domenici

O superintendente da SLU, Custódio Mattos, destacou a relevância da ação do profissional que, com zelo e compromisso, não apenas deixa a cidade mais limpa, mas presta um serviço de saneamento e saúde pública à população. “Uma data comemorativa como esta é a expressão dos sentimentos de patriotismo e liberdade. Você, gari, é muito querido e simpático, merecedor do nosso apreço, alguém que necessita todo dia ser lembrado e respeitado por cada um de nós”, enfatizou.


Origem da palavra

A palavra “gari” começou a ser utilizada para denominar os trabalhadores que atuavam na coleta de lixo, na época do Brasil Império, em referência a Pedro Aleixo Gary, empresário francês radicado no país, contratado pela corte brasileira para organizar o serviço de limpeza do Rio de Janeiro, em 1876. Sempre que algum lugar estava sujo, as pessoas diziam: “Chamem o Gary, que ele resolve isso!”. Com o tempo, os funcionários que trabalhavam para Pedro Aleixo ficaram conhecidos como a “turma do gari” ou, simplesmente, garis.

| Voltar