Clique no banner abaixo para acessar o hotsite do LIRAa

 

Combate à dengue é feito o ano todo em BH




O trabalho de combate à dengue realizado pela Prefeitura de Belo Horizonte é referência em todo o País. Cerca de 1.500 Agentes de Combate a Endemias (ACE’s) fazem o monitoramento constante da presença de focos do mosquito Aedes aegpyti nos imóveis da capital.

Os ACEs visitam, a cada dois meses, cerca de 800 mil imóveis, o que resulta no total de quatro milhões de visitas por ano. Durante as visitas, os agentes realizam vistoria nas residências para identificar algum foco do Aedes aegypti. Além disso, os agentes orientam a população sobre os cuidados que devem ser tomados para se evitar a propagação da doença. Quando encontram focos do mosquito da dengue, eliminam os possíveis criadouros da doença, ou aplicam o biolarvicida nos criadouros que não podem ser eliminados;

Os locais considerados estratégicos, tais como floriculturas, ferros-velhos e borracharias, recebem a vistoria de 15 em 15 dias. Os ACE’s informam e orientam a população sobre os cuidados para se evitar a propagação do mosquito da dengue.

Outra frente contínua de trabalho se dá através dos mutirões de limpeza, que podem ocorrer em dois formatos: intersetoriais e regionais. Os primeiros são uma união de esforços entre a Secretaria de Saúde, Superintendência de Limpeza Urbana e secretarias de administração regionais. O recolhimento é feito nas épocas de maior registro de casos, ou seja, durante o primeiro semestre. Os mutirões regionais são uma promoção das secretarias regionais, realizados durante todo o ano.

Em três ocasiões no ano, os agentes fazem o Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), que mede a infestação larvária na capital. A pesquisa é realizada em períodos estratégicos: janeiro (período chuvoso), março (fim do período chuvoso) e outubro (início do período chuvoso ou antecedente a ele). O LIRAa tem o objetivo de fazer a análise da situação do município, checando em qual grau de infestação se encontra e saber em quais recipientes o mosquito coloca seus ovos. Esse índice, que é calculado pelo número de casas que apresentam larvas da dengue, é considerado satisfatório quando é inferior a 1%. Os percentuais entre 1% e 3,9% mostram uma situação de alerta e, quando a infestação é superior a 3,9%, há risco de surto de dengue.

Denúncias e reclamações

Para solicitar a vistoria de imóveis que ofereçam risco à comunidade, a população deve entrar em contato pelo telefone 156.
 

Número de casos de dengue:

 

 

Ano

Nº DE CASOS

Óbitos

2005

662

0

2006

669

0

2007

5.236

2

2008

12.825

3

2009

12.911

0

2010

51.755

15

2011

1.581

0

2012

585

0

2013

96.114

8

2014

3.037

0

2015

Confira o balanço clicando aqui


Veja também:

ASPECTOS GERAIS

ASPECTOS CLÍNICOS
DIAGNÓSTICO LABORATORIAL
DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL
TRATAMENTO
MANUAIS E PROTOCOLOS
ESTOU COM DENGUE, O QUE FAZER ?
O TRANSMISSOR
COMO EVITAR O PERNILONGO AEDES
AÇÕES DE CONTROLE DO VETOR

 

 

 

   

 


 
   
 
Cartaz: O Perigo Aumentou
2015
  
Folder: O Perigo Aumentou 2015
 
 



 
 
Folder: Chikungunya
 
Folder: Brincar e Aprender
Atitudes Contra a Dengue 2014
 
Folder: Atitude
Contra a Dengue 2014



 
Cartaz: Um Tempo
Contra a Dengue 2013
 
Cartaz: Um Tempo
Contra a Dengue 2013

Folder: Um Tempo
Contra a Dengue 2012


 
 
Folder: Um Tempo
Contra a Dengue 2012
 
Folder: Um Tempo
Contra a Dengue 2012
 

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

 

Telefones úteis
Vigilância sanitária
Notificação de doenças
 Ouvidor SUS/BH
Academia da Cidade
Centros de Saúde