Em 16 de maio de 1943 o então prefeito de Belo Horizonte, Juscelino Kubitschek, e o jovem arquiteto Oscar Niemeyer apresentam ao mundo uma revolução. Da genialidade desses dois visionários, em parceria com os grandes artistas plásticos da modernidade brasileira, nascia o conjunto Arquitetônico e paisagístico da Pampulha.

Com linhas curvas flutuando sobre o espaço mas com profundo arraigamento na arte barroca mineira, Niemeyer realizou aqui o primeiro grande projeto que o lançou como um dos maiores arquitetos de todos os tempos. Por outro lado, a visão inovadora demonstrada na Pampulha foi fundamental para credenciar JK a ocupar mais tarde o Governo de Minas e a Presidência da República.

Os jardins, projetados por Roberto Burle Marx, consolidam um paisagismo autenticamente brasileiro, com plantas da Amazônia, do Cerrado e da Mata Atlântica. E atraem a atenção de todo o mundo.

Leia mais

   
Requalificação da orla

Projetores dirigidos para a lagoa vão realçar a beleza do conjunto arquitetônico com a iluminação do espelho d’água, das pistas de Cooper e da ciclovia. A troca de 721 conjuntos de lâmpadas, luminárias e equipamentos técnicos nos 18 quilômetros da orla, vai garantir 50% a mais de luminosidade trazendo mais segurança para os visitantes. A restauração das praças Dino Barbieri, Dalva Simão, Aleijadinho e o Vertedouro, além da reforma de quatro quiosques vão trazer mais conforto para quem frequenta o local. 

  Atenção ao turista

O Centro de Atendimento ao Turista (CAT), na Praça Dino Barbieri, além de oferecer informações, vai estabelecer roteiros turísticos segmentados em circuitos. Para facilitar a orientação e o deslocamento dos turistas, a região recebe uma sinalização com 68 placas trilíngues, em português, inglês e espanhol nos principais pontos turísticos. Um sistema de código de barras 2D (QR Code) vai permitir o acesso por meio de celulares, tablets e outros dispositivos móveis, ao conteúdo das placas.

  Lagoa da Pampulha limpa e linda

Os serviços de dragagem para desassoreamento da Lagoa da Pampulha vão contemplar as áreas denominadas como Enseada do Clube AABB, Enseada das Garças, Enseada do Mineirão, Enseada da Praça dos Esportes, entorno da Ilha dos Amores e canal do Córrego Ressaca. Serão investidos mais de R$ 130 milhões na retirada de cerca de 800 mil m³ de sedimentos. Após o término da obra de desassoreamento, será necessário mais 12 meses de manutenção para completa despoluição da lagoa.

  Despoluição da Lagoa

A PBH, em parceria com a Copasa e a Prefeitura de Contagem, tem uma meta ousada: reduzir em mais de 95% a carga orgânica (esgoto sanitário) lançado na lagoa. Serão implantados interceptores com elevatórias e 78 km de redes coletoras de esgoto. A ampliação do sistema de esgotamento sanitário da Bacia, por meio da execução de 37 obras, vai beneficiar, direta ou indiretamente, cerca de 450 mil pessoas.

   Casa Kubitschek

Com telhado em forma de asa de borboleta e planos inclinados, a Casa Kubitschek configura tipologia característica da arquitetura brasileira do modernismo, características que tornam a Pampulha singular para o Brasil. A começar pelos jardins que foram restaurados de acordo com o projeto original do paisagista Roberto Burle Marx. Desapropriada pela PBH há alguns anos, após amplo processo de restauração e reconceituação, retorna ao público.

  Recuperação dos jardins do MAP

A Prefeitura restaurou os jardins de Burle Marx, localizados na orla da Lagoa da Pampulha. O projeto paisagístico original dos jardins do Museu de Arte da Pampulha, da Casa do Baile, da Igreja São Francisco de Assis, da Casa Kubitschek e da Praça Dalva Simão, todos tombados pelo Patrimônio Cultural nas esferas federal, estadual e municipal, foi resgatado com o objetivo de recuperar a flora original. Novas mudas, de espécies similares, ocuparam os espaços daquelas que se perderam com o tempo.

  Ciclovias

A vista da lagoa da Pampulha é um convite a um passeio. Se for de bike, melhor ainda. Pensando nisto a Prefeitura restaurou 11 km de ciclovia e implantou mais 7 km que completam a volta na lagoa. Ainda foram implantados mais 3,6 km no Parque José Lins do Rego. A medida faz parte do programa Pedala BH, que procura fazer melhorias para os ciclistas com a implantação e revitalização de ciclovias, além de ampliação e criação de bicicletários e estacionamentos rotativos para veículos não motorizados.

   

 

 

 
 
 
 
 
 
 

http://portalpbh.pbh.gov.br/pbh/ecp/comunidade.do?evento=portlet&pIdPlc=ecpTaxonomiaMenuPortal&app=meioambiente&tax=43437&lang=pt_BR&pg=5700&taxp=0&

 

 

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar