AS PARCERIAS


ICLEI- Governos Locais pela Sustentabilidade:


É uma associação democrática e internacional de governos locais e organizações governamentais nacionais e regionais que assumiram um compromisso com o desenvolvimento sustentável. Foi lançado como o Conselho Internacional para Iniciativas Ambientais Locais, em 1990, na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque. A rede desenvolve e gerencia diversas campanhas e programas que abordam questões de sustentabilidade local e protegem bens comuns globais (como qualidade do ar, clima e água), fazendo a ligação entre a ação local e as metas e objetivos de acordos internacionais. Mais de 1.200 cidades, municípios e associações fazem parte da comunidade cada vez maior de membros do ICLEI. Belo Horizonte é associada desde 1993.

Banco Mundial  

Foi criado em 1944 como facilitador da reconstrução e desenvolvimento dos países após a segunda guerra mundial. Atualmente, o Banco, sdiado em Washington/USA, mas com escritórios em diferentes pontos do planeta, tem como missão aliviar a pobreza no mundo. Assim, seus dois objetivos principais são: terminar com a pobreza extrema no curso de uma só geração e promover a prosperidade compartilhada. Neste sentido, não se trata de um banco no sentido usual do termo, mas sim de uma organização única que busca reduzir a pobreza e apoiar o desenvolvimento por meio da assistência financeira e técnica aos países em desenvolvimento em todo o mundo.

Carbonn Cities Climate Registry (Registro Climático de Cidades Carbonn - cCCR)

É  uma plataforma desenvolvida pelo ICLEI e utilizada como um importante mecanismo para cidades relatarem seus dados sobre emissões de gases de efeito estufa e suas ações e compromissos para mitigação e adaptação às alterações climáticas. A participação no cCCR demonstra para as cidades, a importância de gerir a pegada de carbono como oportunidade para buscar processos mais eficientes e econômicos do ponto de vista financeiro, social e ambiental, apontando alguns caminhos como eficiência energética, investir em tecnologias verdes, transformar riscos em oportunidades, mudar estilos de vida e padrões de consumo. O cCCR auxilia as cidades a promoverem e demonstrarem liderança em ação climática. Belo Horizonte reportou suas ações de mitigação e adaptação no cCCR 2013, o que lhe deu o título de Capital Nacional da Hora do Planeta.

O WWF-Brasil

É uma organização não-governamental brasileira dedicada à conservação da natureza com os objetivos de harmonizar a atividade humana com a conservação da biodiversidade e promover o uso racional dos recursos naturais em benefício dos cidadãos de hoje e das futuras gerações. O WWF-Brasil, criado em 1996, desenvolve projetos em todo o país e integra a Rede WWF, a maior rede independente de conservação da natureza.

CDP

É uma organização internacional, sem fins lucrativos, que fornece o maior e mais completo sistema global de divulgação ambiental. Trabalhamos com as forças de mercado para motivar empresas e cidades a medirem e divulgarem seus impactos sobre o meio ambiente e recursos naturais para, dessa forma, descobrir maneiras de reduzi-los. Um dos programas é o CDP Cities, o qual fornece uma plataforma global, que permite que os governos de cidades divulguem publicamente os seus dados sobre emissões de GEE, a análise de riscos das alterações climáticas, oportunidades e planos de adaptação. Os dados fornecidos pelas cidades contêm informações valiosas sobre as estratégias em relação à mudança climática com o objetivo de direcionamento de ação e de investimentos rumo a uma economia sustentável. Belo Horizonte, ciente de seu papel protagonista no cenário nacional, reportou em 2013 e em 2014, suas ações de mitigação e adaptação às mudanças climáticas nessa plataforma.

World Resources Institute – WRI

É uma organização global de pesquisa que se estende por mais de 50 países, com escritórios nos Estados Unidos, China, Índia, Brasil e muito mais. Possui mais de 450 especialistas e funcionários que trabalham em estreita colaboração com líderes para transformar grandes ideias em ação para sustentar os recursos naturais, a exploração de mercados e iniciativas para estender oportunidades econômicas e o bem-estar humano. Seu trabalho centra-se em seis questões relacionadas ao meio ambiente e desenvolvimento sustentável: clima, energia, alimentos, florestas, água, cidades e transportes.

Muitas cidades têm utilizado métodos baseados em referências nacionais, locais ou próprias para construir seus Inventários de Gases de Efeito Estufa (GEE). Com o intuito de harmonizar essas abordagens e melhorar assim significativamente a qualidade e aplicabilidade das metodologias para os inventários de GEE, o ICLEI-Governos Locais pela Sustentabilidade, a C40 Cities Climate Leadership Group, e a iniciativa GHG Protocol do World Resources Institute estabeleceram parceria internacional e lançaram em maio de 2012 a primeira versão do Protocolo Global para Emissões de GEE na Escala da Comunidade (Global Protocol for Community-Scale GHG Emissions – GPC), uma metodologia harmonizada que pode ser utilizada por todas as cidades gratuitamente.

Em 2013, a liderança na coordenação dos próximos passos do desenvolvimento da ferramenta ficou sob a responsabilidade da WRI, que envolve consulta a especialistas e interessados, testes, e promoção do uso de uma metodologia global única, para realização de inventários de emissões de GEE de cidades em escala local. A execução do 2º Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa de Belo Horizonte (2007 a 2010) utilizou, para orientação geral, o Global Protocol for Community-Scale GHG Emissions (GPC 2012), documento que compila as diretrizes gerais para confecção de inventários municipais de emissões de GEE. Importante é que o GPC 2012 dialoga diretamente com o 2006 IPCC Guidelines for National GHG Inventories  e é, portanto, perfeitamente comparável ao Inventário Municipal de GEE anterior (2000 a 2007). Belo Horizonte compõe um grupo de 30 cidades ao redor do mundo que possuem experiência com confecção de inventários usando esse padrão e que estão trocando experiências e lições aprendidas, como um teste da ferramenta.

Fórum CB 27

Criado durante a realização da Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), em 2012, com o apoio da Fundação Konrad Adenauer, o CB-27 (Fórum dos Secretários de Meio Ambiente das Capitais Brasileiras) reúne os secretários de 23 capitais e do Distrito Federal e se espelha em movimentos como o C-40 (organismo formado por prefeitos das maiores cidades do mundo), buscando estabelecer um intercâmbio de experiências e formar parcerias que colaborem com a realização de práticas sustentáveis nas cidades e para a resolução de problemas no âmbito ambiental  às cidades participantes.

Compacto of Mayors (Compacto de Prefeitos)

Iniciativa fruto da parceria entre a ONU, UN-Habitat, C40, ICLEI e UCLG, o Compacto de Prefeitos (Compact of Mayors) é uma coalizão global de prefeitos com expressiva liderança mundial e de cidades líderes comprometidas com uma ambiciosa e transparente ação climática. Tem por objetivo reconhecer novas e existentes iniciativas climáticas de governos locais e divulga-las globalmente por meio das plataformas Carbonn Climate Registry e CDP, permitindo às cidades compartilhar suas experiências em nível mundial e reportar objetivos, ações e impactos, demonstrando, assim, o investimento coletivo de governos locais em prol de um futuro sustentável. O Compacto de Prefeitos também irá reportar as iniciativas dos governos locais ao NAZCA/UNFCCC, permitindo aos mesmos:

•    Aumentar sua visibilidade como líderes no enfrentamento às mudanças climáticas;
•    Demonstrar seu comprometimento com uma ambiciosa solução global, particularmente, tendo em vista o novo acordo climático a ser celebrado em Paris em dezembro de 2015;
•    Encorajar os investimentos públicos e privados nas cidades por meio do cumprimento transparente de normas que são similares àquelas seguidas por governos nacionais; e
•    Acelerar ações climáticas locais mais ambiciosas, colaborativas e sustentáveis.