ATENÇÃO!

Em função dos trabalhos de prevenção e combate à febre amarela - realizados conjuntamente pela Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica (FPMZB) e a Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) - os Parques das Mangabeiras (incluindo o Mirante do Mangabeiras), da Serra do Curral, Aggeo Pio Sobrinho e Roberto Burle Marx (conhecido como Parque das Águas) estão temporariamente fechados. Para visitação aos demais parques, a FPMZB e a SMSA recomendam a vacinação contra a febre amarela.

LEMBRE-SE: os macacos NÃO TRANSMITEM a febre amarela. Nos trabalhos de prevenção da doença eles são grandes aliados, pois, quando contaminados, indicam que naquele local pode haver focos do mosquito transmissor, auxiliando os trabalhos de zoonoses.MALTRATAR ANIMAIS, DOMÉSTIOS OU SILVESTRES, É CRIME PREVISTO EM LEI!

Localizado ao pé da Serra do Curral, patrimônio cultural de Belo Horizonte, o Parque das Mangabeiras, projetado pelo paisagista Roberto Burle Marx, conserva em sua área de 2,4 milhões de m2, 59 nascentes do Córrego da Serra, que integra a Bacia do Rio São Francisco.

A uma altitude de 1.000 a 1.300 metros, o clima é ameno.

Lugar para descanso, lazer e esportes, o Parque das Mangabeiras recebe cerca de 50 mil pessoas por mês. Os visitantes podem usufruir de recantos naturais, quadras de peteca, tênis e poliesportivas, pista de skate, brinquedos e atividades culturais.

No Parque das Mangabeiras, o contato com a vegetação nativa é um dos principais atrativos, sendo representada por áreas de Cerrado e de Mata Atlântica. O Cerrado ocupa as áreas de maior altitude do parque, onde os solos são mais rasos e com baixa disponibilidade de nutrientes. Árvores como o barbatimão, a candeia, a caviúna, a guabiroba, o murici e o pau-santo são comuns nas áreas de Cerrado. A Mata Atlântica está presente nos fundos de vale e encostas adjacentes, onde os solos são mais profundos e ricos em nutrientes. Dentre as árvores típicas deste ambiente podem ser citadas a copaíba, o guanandi o jacarandá, o jequitibá, o pau-jacaré e a quaresmeira.

A fauna do Parque das Mangabeiras é bastante diversificada. Merece destaque o grupo das aves, com mais de 160 espécies registradas, dentre elas o jacu e a saracura, facilmente observados no parque. Com relação aos mamíferos, cerca de 30 espécies já foram registradas, dentre estas o quati, o mico-estrela, o caxinguelê (esquilo), o ouriço-cacheiro e o tatu-galinha. Embora de visualização mais difícil, o parque é também abrigo de cerca de 20 espécies de répteis e 20 espécies de anfíbios, como a rã Hylodes uai, que tem em seu nome uma homenagem a Minas Gerias.

O parque sinaliza rotas de visitação para diferentes tipos de atividades. No “Roteiro da Mata” é possível conhecer um pouco mais da vegetação de Cerrado e Mata Atlântica, passando pelo Viveiro da Mudas Nativas, Centro de Educação Ambiental (CEAM), Mirante da Mata e Morro do Pic-Nic/Vale dos Quiosques. Para as atividades recreativas e esportivas, a “Rota do Sol” conta com as Ilhas do Passatempo, Pista de Skate, Praça do Britador, Parque Esportivo e Ciranda dos Brinquedos. Para o contato com os recursos hídricos, existe o “Roteiro das Águas”, integrado pelo Recanto da Cascatinha e Lago dos Sonhos, formados pelas águas do Córrego da Serra.

________________________________________________________________________________________
Horário de funcionamento: de terça-feira a domingo, das 8 às 17 horas.
(*TEMPORARIAMENTE, O ACESSO ESTÁ RESTRITO A ALGUMAS ÁREAS. CONSULTE PELO TELEFONE)


Portaria Sul: Av. José do Patrocínio Pontes, 580, Bairro Mangabeiras
Portaria Norte: Praça Cidade do Porto, 100, Bairro Serra
Portaria Caraça: Rua Caraça, 900, Bairro Serra
Informações: 3277-8277 ou 3277-9697
Email: mangaba@pbh.gov.br
Entrada gratuita.


 

História do Parque das Mangabeiras Roteiros de Visitação Taxas e serviços