Foto: Daniel Alves / FZB-BH

O Parque Ecológico Promotor Francisco Lins do Rego, conhecido como Parque Ecológico da Pampulha é administrado pela Fundação Zoo-Botânica de Belo Horizonte e foi inaugurado em 21 de maio de 2004. O espaço, de 30 hectares de áreas verdes, oferece à população da cidade a aos turistas uma programação permanente de educação ambiental, cultural, patrimonial e para o trânsito.

Suas características, pouco comuns no Brasil, proporcionam às pessoas uma integração direta com o meio ambiente. O gramado pode e deve ser pisado e utilizado para o descanso, o lazer e a contemplação da natureza. Para receber visitantes e grupos agendados, uma equipe de monitores, treinada pelos profissionais do Serviço de Educação Ambiental, está sempre disponível. Eles são aptos a orientar crianças e adultos quanto ao meio ambiente e sua conservação, além de esclarecer dúvidas relativas à flora e fauna do Parque.

A prática de esportes é estimulada com o oferecimento equipamentos de ginástica, pistas de caminhada, cooper e bicicletas gratuitas. O espaço também é utilizado como cenário para shows musicais, espetáculos de dança, peças teatrais e eventos com propósitos educativos. Patrimônio de Belo Horizonte, o Parque acolhe cerca de 5.000 pessoas aos finais de semana e atende escolas públicas e particulares durante a semana.




Foto: Daniel Alves / FZB-BH


Bicicletas para Todos

O "Bicicleta para Todos" é uma grande novidade para os moradores de Belo Horizonte. O projeto é pioneiro e oferece à população lazer de qualidade aliado à promoção da saúde. No Parque Ecológico, vinte bicicletas estão à disposição dos visitantes para utilizarem gratuitamente. A partir de um documento de identificação, qualquer pessoa maior de 18 anos poderá pegar uma bicicleta e percorrer o Parque em áreas determinadas. Os usuários são orientados quanto ao uso correto do equipamento, uma opção saudável, econômica e ecologicamente correta.

A ideia foi inspirada no "Plano das Bicicletas Brancas", que surgiu em Amsterdam em 1968. Bicicletas brancas eram distribuídas pela cidade para que qualquer cidadão as utilizasse para se locomover. Os ciclistas as deixavam em seu local de destino para que uma próxima pessoa pudesse usá-las. A cor branca demonstrava que a bicicleta era coletiva.

A partir desse projeto, a Prefeitura, através da Fundação Zoo-Botânica-BH e da BHTrans, pretende estimular os visitantes do Parque Ecológico da Pampulha para o interesse por questões como educação ambiental, educação patrimonial e educação para o trânsito.


Monumento da Imigração Japonesa no Brasil


Foto: Suziane Fonseca / FZB-BH

Importante projeto de arte contemporânea brasileira, é o mais significativo marco arquitetônico e cultural comemorativo do Centenário da Imigração Japonesa no País. O lago simboliza o mar entre as nações e os desafios dos tempos vividos, e a ponte liga não só territórios, mas tempos, ideias e ideais.

A instalação interna possui um invólucro infinito banhado pelo vermelho intenso presente nas bandeiras do Japão e de Minas Gerais. Representa a fusão da simplicidade, do rigor, da vitalidade e da tecnologia das duas culturas. E a exposição ao ar livre tem como foco os aspectos tecnológicos e industriais que caracterizam as ligações entre mineiros e japoneses.



O parque é aberto de terça a quinta-feira para visitas de grupos agendados. De sexta-feira a domingo ao público em geral.

O horário é sempre de 8:30 às 17:00 horas. A entrada é gratuita.
  Localizado na Av. Otacílio Negrão de Lima, 7.111 - Pampulha.

Telefone de contato: 3277-7439

As linhas de ônibus que podem ser utilizadas para se chegar até o Parque são:

3302
4408 - Tijuca

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Pesquisas Escolares
Dicas de Visitação
Preços e Horários
Perguntas mais frequentes
Venda de mudas