BH a cidade que conquista - Assista

PortuguêsInglêsEspanhol

 

Nas redações que circulam pela administração pública, é freqüente o uso de conexões viciosas entre o verbo e seu complemento. A essa relação de dependência entre esses dois termos da oração dá-se o nome de regência verbal. Há verbos que, em sua conexão com o complemento, dispensam a preposição: são os verbos transitivos diretos. Outros, porém, exigem-na: os transitivos indiretos. Os que não pedem complemento são intransitivos.
Apresentamos a seguir alguns verbos de emprego mais freqüente, indicando-lhes a regência normal. Os casos mais complexos estão numerados e a explicação correspondente encontra-se abaixo do quadro.

 acautelar-se com  autorizar (15)
 aceder a  avisar (16)
 aconselhar (1)  bater (17)
 acusar (obj. direto)  cair em
 adaptar (2)  carecer de
 aderir a  ceder (18)
 admirar (obj. direto) (3)  certificar (19)
 admirar-se de, em  chamar (20)
 afixar (obj. direto) (4)  chegar a
 agradar (5)  comparecer a, em
 agradecer (6)  compartilhar (obj. direto)
 ajudar (7)  comunicar (21)
 alcançar (obj. direto)  conformar a, com (22)
 aludir a  consentir em (23)
 apelar de...para (8)  constar de (24)
 aspirar a (9)  convencer (25)
 aquiescer a, em  convidar (26)
 assistir (10)  convir a, com , em (27)
 atender (11)  cumprir com (28)
 atentar em, para, por, contra (12)  custar (29)
 atinar (13)  declinar de (30)
 atingir (obj. direto) (14)  deferir (31)
 Delegar (32)  habilitar-se a, para
 Deparar (33)  habituar-se a
 Desagradar a (34)  haver (41)
 Desobedecer a  herdar (42)
 Dignar-se de  honrar-se em, de, com
 Distribuir a, com, entre, por  identificar-se a, com, em
 Encarregar de  igualar (43)
 Ensinar a (35)  impedir (44)
 Esforçar-se em, para, por  impetrar (45)
 Esquecer (36)  implicar (46)
 Esquivar-se a, de  impossibilitar de, para
 Exceder a, em (37)  impregnar-se de
 Exonerar (38)  impugnar (obj. direto)
 Exuberar de, em  imputar a
 Felicitar (obj. direto)  incomodar (obj. direto)
 Fugir a, de  incompatibilizar com, para
 Ganhar (39)  incorporar a, em, com (47)
 Gozar (40)  incumbir (48)
 Graduar-se em  indagar (49)
 Guindar-se a  visar (50)



1) aconselhar - pede dois objetos: direto e indireto. Diz-se: “ninguém lhe aconselha fugir”, ou “ninguém o aconselha a fugir”.

2) adaptar - pede objeto direto e indireto, quando significar tornar apto (“adaptou o criado à tarefa); pôr em harmonia (“adaptou os meios aos fins”) ou adequar uma coisa a outra (“adaptou a lente ao binóculo”).

3) admirar - aparece também como intransitivo: “não admira que tal aconteça”, isto é: “não causa admiração que ...”

4) afixar - pede objeto direto e adjunto adverbial com preposição a: “mande afixar o cartaz à porta principal”.

5) agradar - exige preposição quando significa ser agradável, satisfazer; quando corresponde a fazer carinho, animar, pede objeto direto.

6) agradecer-o objeto indireto é de pessoa; o direto, de coisa: “agradeço-lhe(OI) o convite(OD)”.

7) ajudar - diz-se indiferentemente: ajudar-lhe ou ajudá-lo.

8) apelar - em frases como “apelar de uma autoridade para outra autoridade”, existem dois objetos indiretos.

9) aspirar - no sentido de desejar, ambicionar, é transitivo indireto com preposição a.

10) assistir - no sentido de presenciar, pede objeto indireto com preposição a, e não tolera o pronome lhe, que se substitui por a ele, a ela. Na acepção de ajudar, auxiliar, socorrer, aceita objeto direto.

11) atender - sua regência normal é com preposição a, se o objeto é coisa: “atenda ao pedido”. Se o objeto é pessoa, pode ser direto ou indireto.

12) atentar - “atentavam no que fazíamos”, “tenho de atentar pela sua economia”, “atentaram contra o imperador”. No sentido de tencionar fazer, é transitivo direto: “ele atentava novo método”.

13) atinar - pede objeto direto: “...como não atinava deduzir daí uma ilação razoável, não pensou mais nisso.” (Alexandre Herculano, O monge de Cister, II, p.141.) Mas também pode ser utilizado com a preposição com: “não atinara com o futuro”.

14) atingir - pede preposição somente no sentido de atinar, perceber, mas é um verbo pouco usado neste sentido.

15) autorizar - pede objeto direto de pessoa e indireto de coisa autorizada: “autorizei-o a sair”.

16) avisar - a melhor regência é com objeto direto de pessoa e indireto de coisa avisada: “vou avisá-lo da sua chegada”. Modernamente se diz também: “vou avisar-lhe o que houve”.

17) bater - transitivo direto quando significa dar pancada em alguma coisa, ou vencer alguém: “bater pregos” ; “ela bateu o irmão no jogo”; transitivo indireto quando significa dar pancadas em alguém: “o pai bateu no filho”. Note-se a diferença entre: “bater à porta” e “bater na porta”. No primeiro exemplo, alguém bate para se anunciar; no segundo, alguém dá pancadas na porta, não para anuncia-se, mas por outra razão qualquer.

18) ceder - Pede objeto indireto quando significa sucumbir, não resistir: “cedeu ao impulso do coração”. Pede os dois objetos quando significa transferir a alguém direitos, posse ou propriedade de alguma coisa: “cedeu à mãe sua parte na herança”.

19) certificar - tem regência dupla: a) obj. direto de pessoa e indireto daquilo que se certifica: “certifiquei-o da promoção”; b) obj. direto da coisa certificada e indireto de pessoa: “certifiquei-lhe tudo”.

20) chamar - tem várias regências; na acepção de mandar vir, pede objeto direto; na de dar nome, objeto indireto: “chamei o médico”, “chamavam a isso ideologia”. Nesta acepção, pode vir com objeto direto: “chamam-no Rufião”, e também com a preposição de antes do predicativo:

“chamam-no de traidor”. Há exemplos com objeto indireto e predicativo preposicionado :

“chamei-lhe de tolo”. Esta sintaxe, porém, é menos recomendável. No sentido de invocar, pede preposição por: “chamavam por todos os santos”.

21) comunicar - pede objeto direto para coisa comunicada e indireto para pessoa informada:

“comuniquei a notícia aos servidores”.

22) conformar - diz-se: “conformar uma coisa a outra, ou com outra”.

23) consentir - tem várias regências: “consentirei a remoção do corpo” (O.D.); “não lhe consentirei isso” (O.I e O.D.); “os pais consentiram na viagem da filha” ; “consentirei com a proposta”.

24) constar - no sentido de estar consignado, admite a preposição em ou de: “a relação consta no fichário ou do fichário”.

25) convencer - tem dupla regência: “convencer alguém a fazer algo” e, no sentido de fazer crer, emprega-se com preposição de: “convenceram-no da utilidade do projeto”.

26) convidar - pede obj. direto de pessoa e adjunto adverbial de finalidade: “convidai-o a entrar, ou para entrar”.

27) convir - “o negócio convém a todos”; “todos convieram na reforma do regimento”; “conviera com o irmão que voltariam juntos”.

28) cumprir - diz-se: “cumprir com o dever”, ou simplesmente: “cumprir o dever”.

29) custar - na linguagem comum, diz-se erradamente: “custei a compreender”. Corrija-se dizendo: “custou-me compreender”.

30) declinar - pede preposição de, no sentido de rejeitar. Na acepção de declarar, é transitivo direto.

31) deferir - transitivo direto: “o chefe deferiu o requerimento”. Não confundir com diferir: adiar, dilatar; ser diferente, divergir.

32) delegar - diz-se: “delegou nele a tarefa mais árdua” ou ”delegou a ele a tarefa mais árdua”. Também se diz: “vou delegá-los a representar esta seção”.

33) deparar – é normalmente transitivo direto, mas também pode-se dizer “deparar com” ou “deparar-se com”, no sentido de encontrar inesperadamente, defrontar, topar.

34) desagradar - admite objeto direto ou indireto: “isso o desagrada” ou “isso lhe desagrada”.

35) ensinar - tem as seguintes regências: a) “ensinou-me o manejo da arma”; b) “ensinei-o a escrever”; c) “ensinei-lhe a nadar”. Esta última regência resultou do cruzamento das duas primeiras.

36) esquecer - tem várias regências: a) “esqueci a pasta”; “esqueceu-me a pasta”; c) “esquecime da pasta”.

37) exceder - pede obj. direto ou indireto: “seu trabalho excede nossa expectativa; “o primeiro excede ao segundo”. Com adjunto adverbial, pede a preposição em: “este o excede em capacidade”.

38) exonerar - pede objeto direto: “O governador exonerou o secretário”. No sentido de desobrigar, dispensar, é transitivo direto e indireto: “Exonerei-o da incumbência” .

39) ganhar - sua regência normal é com objeto direto; no sentido de dar como lucro ou proveito, é transitivo indireto: “que lhe ganha este pieguismo?”, com adjunto adverbial de meio, pede preposição em, com, ou por: “nada ganhara por esforço próprio”. Constrói-se também com objeto indireto e adjunto adverbial de assunto: “em matemática, ganhava a todos”.

40) gozar - diz-se: “gozar as férias” ou “gozar das férias”; o adjunto adverbial de causa se rege com de, com em, por : “o pai gozava de ver o êxito do filho”; “todos gozavam com a vitória de Alípio”; “gozamos em ver tua nomeação”; “todos gozavam por teres aceito o convite”. Usa-se
ainda como pronominal: “gozava ali de muitas vantagens”.

41) haver – tem várias regências: a) tomado como existir, acontecer, ocorrer, realizar-se ou indicando tempo decorrido, é impessoal e transitivo direto: “não havia testemunhas” (= não existiam); b) seguido da preposição de e um infinito, torna-se auxiliar das formas do futuro e condicional enfáticos: hei de vencer, haverei de vencer, havia de vencer, haveria de vencer.

42) herdar - transitivo direto e indireto - significa tanto receber por herança como deixar por herança: “herdou do pai uma fortuna”; “o avô herdou-lhe tudo que tinha”.

43) igualar - com os dois objetos (direto e indireto), rege a ou com: “deves igualá-lo a este” (ou com este).

44) impedir - diz-se indiferentemente: “impedir alguém de alguma coisa” ou “impedir alguma coisa a alguém”.

45) impetrar - tem dupla regência: a) transitivo direto: “impetrar anistia”; b) transitivo direto e indireto: “impetraram ao soberano o agraciamento do réu”.

46) implicar - na acepção de ter como resultado, dar a entender, tornar indispensável, é transitivo direto: “uma obrigação que implica prejuízos”; “estas palavras implicam uma censura”; - como embaraçar, envolver, se rege assim: “poderão implicá-lo no crime”; - como antipatizar ou
não harmonizar, pede a preposição com: “está sempre implicando com os outros”.

47) incorporar - é transitivo direto no sentido de juntar num só corpo; dar unidade a; reunir: “a assembléia resolveu incorporar os decretos e leis referentes à matéria”.

48) incumbir - é transitivo direto e indireto: dar comissão/incumbência/encargo a; encarregar: “o gerente incumbiu-o de todos os negócios do setor”.

49) indagar - no sentido de procurar saber, tentar descobrir, investigar, pesquisar, averiguar; é transitivo direto: “indagou a causa do acidente”.

50) visar - é transitivo direto no sentido de dirigir a vista ou o olhar fixamente para, mirar (“visar um alvo”); pôr o sinal de visto em (“visar um cheque”); ter por fim ou objetivo; ter em vista (“Animado por um forte sentimento de indignação, o autor visa um fim moral”; “Não visamos a derrota, mas a vitória” ). [Os exemplos de visar, nesta acepção, como transitivo direto, poderiam facilmente ser multiplicados. Não há razão, pois para condenar esta regência só admitindo a seguinte.] Pode ser transitivo indireto no sentido de ter por fim ou objetivo; ter em vista; mirar:

“estas medidas visam ao bem público”.